Patagon M&A - Saúde - Notre Dame Intermédica avalia novas aquisições



A NotreDame Intermédica continua analisando 10 ativos para aquisições, mas está mais cautelosa diante do atual cenário de juros mais elevados.


"Não reduzimos nossos M&As, mas estamos sendo mais cautelosos frente ao custo de capital", disse Irlau Machado, presidente da operadora.


Nos primeiros nove meses deste ano, a Intermédica concluiu a aquisição de nove ativos, que demandaram investimentos de quase R$ 2 bilhões.


Nesse processo de consolidação, a companhia vem fortalecendo sua estratégia de entrar em novas praças fora de São Paulo, sua região de origem. Entre eles estão Minas Gerais, Rio de Janeiro e Sul do país.


Além disso, a NotreDame Intermédica vai retomar a venda dos planos de saúde para idosos, produto criado há cerca de dois anos. O projeto de expansão dessa modalidade de convênio médico foi interrompido devido à deflagração da pandemia de covid-19, que afeta principalmente o público idoso.


Machado destacou que a retomada do plano para idosos não tem relação com problemas sofridos pela Prevent Senior, que é acusada de indicação de medicamentos não eficazes, interferência na conduta de médicos e ocultação da covid como causa de óbitos.


Centro Clínico Gaúcho (CCG)


Segundo Machado, a aquisição do Centro Clínico Gaúcho (CCG), comprado por R$ 1 bilhão, foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).


Com a aquisição do CCG, a Intermédica passa deter 13,5% de market share na Região Metropolitana de Porto Alegre e torna-se a segunda maior operadora de planos de saúde no Rio Grande do Sul, atrás apenas da Unimed.


O Centro Clínico Gaúcho - que era controlado pela Kinea, private equity do Itaú - conta com cerca de 175 mil beneficiários, um hospital de 110 leitos, 20 centros clínicos e 13 laboratórios.


Segundo o executivo, o Sul do país, ao lado de Minas Gerais e Rio de Janeiro são praças com grandes oportunidades para aumento da verticalização. Entre essas três regiões, o maior ganho deve vir de Minas Gerais devido ao tamanho do Estado e porque a Intermédica tinha poucas operações próprias.


Oferta de leitos


A NotreDame Intermédica vai ampliar a oferta de leitos próprios para hospitais do mercado diante da redução de casos covid. O grupo abriu cerca de 1 mil leitos para atender os pacientes acometidos pela doença durante o auge da pandemia.


Atualmente, a operadora tem apenas sete pacientes com covid internados em Minas Gerais e um no Sul do país.


No terceiro trimestre, 75% das internações dos usuários da operadora foram realizadas em rede própria - mesmo patamar no trimestre anterior e quatro pontos percentuais maior em relação a um ano antes.


A operadora teve um impacto de cerca de R$ 247 milhões proveniente dos pacientes acometidos pela covid, no terceiro trimestre, o que representa uma queda de 31% em relação ao período imediatamente anterior. Os valores consideram os atendimentos em rede própria e credenciada. Segundo o presidente, apesar da forte redução de casos covid-19 a empresa ainda sente os impactos, mas no quarto trimestre esses efeitos serão muito menores.


"É uma cauda longa. O tempo de internação [de paciente covid] é maior e a rede credenciada leva mais tempo para efetivar a cobrança, mas no quarto trimestre o impacto é mínimo", disse.


Além disso, é esperada redução de custos de materiais e medicamentos, que sofreram forte alta durante o auge da pandemia. Ele exemplificou que um par de luvas tinha um custo de R$ 0,07 e passou para R$ 0,80, sendo que a previsão é que fique agora em torno de R$ 0,30.


Leia mais em: Valor Econômico


Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square